Profissionais

Óptico Prático Técnico em Óptica  |  Contatólogo  |  Optometrista

VOLTAR

 
 

 

 

HISTÓRIA

DO ÓTICO PRÁTICO AO TÉCNICO ÓPTICO

Os "Óticos Práticos" surgem anterior à 1900. Sem formação, aprenderam seu ofício na prática, época em que as profissões passavam de pai para filho, limitados à montagem artesanal de óculos. Alguns óticos mais talentosos, aprenderam a profissão de Optometria também na prática, trazida ao Brasil por imigrantes. Por volta de 1960 era comum óticas oferecerem "exames da vista" exercidos por optometristas práticos dentro das casas de óticas. Porém, por volta de 1965 são lembrados os Decretos Federal de 1932, que regulamentava a ótica, ótico e a Optometria prática.




Com base na regulamentação surgem alguns cursos profissionalizantes emitindo "Certificados" de - ÓTICO PRÁTICO - com matéria de física-óptica, refração, cálculos em curva de lentes graduadas, fazendo com o ótico projetasse lentes mais finas e bem elaboradas. Atualmente, o profissional não existe, e o curso substituído em 1973 atendendo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, incluído no curso a matéria "CONTATOLOGIA" compreendendo além da física-ótica, anatomia, fisiologia, estudo da lágrima e a reconhecer patologias do globo ocular, passando a denominação - Técnico em Óptica -

Os Técnicos Ópticos são pais das Lentes de Contato, foram seus idealizadores e os primeiros a adaptar lentes de contato, bem mais tarde com a lentes gelatinosas de fácil adaptação, veio o interesse dos médicos oftalmologistas, que por vezes, delegam às suas secretárias sem formação técnica.

Quem ainda pensa que o Óptico é o mesmo de 1930 ou que tenha perdido seu lugar para laboratórios modernos pneumáticos ou digitais, notadamente desconhece a profissão e o ramo óptico. O atual Óptico do século XXI, assume postura de frente como consultor técnico no atendimento ao usuário de auxílios ópticos, que vai além de um par de óculos bem elaborados ou adaptação de lentes de contato. É o Óptico quem pode e deve indicar a melhor lente e armação ergonomicamente correta, levando em conta; costumes comportamentais, atividade profissional ou esportiva, proporcionando; - menor fatiga e melhor conforto visual.

Quando uma receita apresenta indicação de lentes ou marca, dizemos que é o primeiro passo para que os óculos não proporcionem conforto visual e aumentem a fadiga visual. O usuário fica cansado com cefaléia, irritação e forte desconforto visual.
 

   

conselho@cooerj.org.br  | TeleFax: (21) 3553-5220 - Cel: (21) 98844-0437  Av. Pres. Vargas 583 - Sala 2211 - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20071-003